A exigência estética no “período formativo” da obra de José Saramago
CHARLES VITOR BERNDT

José Saramago é um dos escritores contemporâneos de Portugal de maior renome, traduzido para inúmeros idiomas, figurando, até então, como o único autor de língua portuguesa a ser galardoado com o Prêmio Nobel de Literatura, em 1998. Autor de romances emblemáticos como Memorial do Convento (1982), O Evangelho Segundo Jesus Cristo (1991) e Ensaio Sobre a Cegueira (1995), é a partir dos finais da década de 1970, quando ainda escrevia Levantado do Chão (1980), que o autor desenvolve o estilo de narrar com o qual se consagraria como romancista, com uma pontuação transgressora e uma voz narrativa muito própria. Uma outra marca inconfundível de seus textos é o engajamento social e o comprimento humanitário, fruto de uma visão marxista da realidade. Consciente do seu papel de escritor, de produtor de literatura, Saramago jamais abdicou de suas obrigações como cidadão e homem engajado, comprometido com questões sociais e políticas. Assim, este estudo busca discutir e analisar de que maneira os textos publicados antes de 1980, frutos de um tempo em que o autor ainda não se consagrara como romancista e explorava uma série de gêneros literários distintos, que integram o que se convencionou denominar “período formativo”, já apontam para algo que o próprio autor denominou exigência “ética” e “estética” de sua obra literária. No ano em que se celebra o centenário de José Saramago, este artigo visa chamar atenção para as inúmeras relações e conexões que se podem estabelecer entre a obra madura de José Saramago e os textos publicados na sua juventude, apontando para um longo período de maturação pelo qual passou o escritor ao longo de sua produção literária.

Palavras-chave: José Saramago. Período formativo. Engajamento. Exigência ética e estética.

José Saramago is one of the most popular contemporary writers in Portugal, translated into numerous languages, being the only portuguese author to receive the Nobel Prize for Literature in 1998. Saramago is the author of novels such as Baltasar and Blimunda (1982), The Gospel According to Jesus Christ (1991) and Blindness (1995). Starting in the late 1970s, when he was still writing Raised From The Ground (1980), the author developed the style of writing with which he became known as a novelist. Another unmistakable hallmark of his novels is social engagement, with its origins in Marxism. In this way, Saramago never abdicated his obligations as an engaged man, committed to social and political issues. This work seeks to discuss and analyze how the literary texts published before 1980, which are part of what is conventionally called the “período formativo”, already point to something that the writer himself called an “ethical” and “aesthetic” concern. In the year in which the centenary of José Saramago is celebrated, this work intends to draw attention to the numerous relationships that can be established between the novels published after 1980 and the texts published in the writer’s youth.

Keywords: José Saramago. Período formativo. Engagement. Ethical and aesthetic concern.

ver texto :: voltar ao sumário